Bem vindo ao BLOG CAMPESTRE CIDADÃO, Na Defesa de Seus Direitos

Esse blog é uma forma direta de interagir com a sociedade, esclarecendo suas dúvidas e orientando a respeito de seus direitos. É um prazer poder dar minha contribuição como cidadão consciente.

Fernandes Braga

sábado, 30 de abril de 2011

CHUVA DEIXA ILHADO BAIRRO DA PARAIBA EM SÃO JOSÉ DO CAMPESTRE.

O rio Jacú que corta o meio da cidade de São José do Campestre que há 97 km de Natal amanheceu, nesta sexta-feira (29), com uma forte correnteza que impediu, nas primeiras horas da manhã, o acesso dos moradores do bairro Paraíba ao centro da cidade.

Sexta-feira é dia da feira livre em São José de Campestre e muitas pessoas que precisaram passar pelo rio para comprar alimentos foram impedidos por causa da água. 
 
A população reclama da obra parada da ponte denominada Aluizio Alves, e relatam que depois da obra, nem sequer pode ser colocada canoas. 
 
“O risco é muito grande para quem se atreve passar, tenho medo sempre de ser levada pela correnteza, tenho medo de acontecer o mesmo que aconteceu em 2004”, desabafa Maria Francisca.

As enchentes constantes do rio Jacú têm provocado o isolamento do bairro Paraíba e comunidades rurais de uma população estimada de mais de quatro mil moradores ao centro da cidade, prejudicando-os no acesso às escolas, hospital, alimentos, trabalho, dentre outros.

A última grande cheia aconteceu no ano de 2004, onde a população do bairro e comunidades rurais ficaram isoladas durante três dias, sem água, energia, comida e demais serviços essenciais.
 ....................................................................................................................................................................
 
Comentário: 
 
Essa é nossa cidade, que pena que os governantes só nos visitam de helicóptero, não colocam os pés no chão.

Essa é a realidade de um povo sem governo.

Que Deus proteja essas famílias.


Editorial Voz da Consciência. Por Manoel Fernandes Braga

sexta-feira, 29 de abril de 2011

OPAAAAAAA... POLÍCIA FEDERAL NA ÁREA... FALSIDADE IDEOLÓGICA É CRIME.

Já não é novidade que na Polícia Federal está tramitando um inquérito policial para apurar uma suposta falsificação de assinatura no documento que libera o recurso destinado a compra da merenda escolar. do município de São José do Campestre/RN. Documento este diretamente ligado ao FUNDEF.
Enfim, pela pouca informação que temos conhecimento é que ao tomar ciência do suposto crime de falsidade ideológica com documento público, o Ministério Público Federal robustamente repleto de documentos encaminhou toda a documentação para a polícia federal ondes está instituição deverá proceder a apuração do crime de falsidade ideológica. 

Entendemos a história: 

"Para ser liberado o recurso da compra da merenda escolar é necessário que uma comissão formada por cidadãos de vários segmentos da sociedade, e que estes aprovem a prestação de contas referente a compra da merenda".
Bem foi exatamente o que não ocorreu, o presidente da comissão não concordou com a prestação de contas apresentada pelo poder executivo da época, e pós três meses  sem o relatório da comissão o recurso foi bloqueado pela união.

O que se sabe é que misteriosamente há poucos meses atrás o recurso foi novamente liberado, estranhando o próprio presidente da comissão há época do fato. 

Porém ao entrar em contato com o ministério da educação, lhe foi informado que constava uma assinatura supostamente sendo do presidente da comissão, concordando com o relatório proposto pelo poder executivo.
Só que o mesmo não reconheceu sua assinatura, o que motivou a investigação por parte do MINISTÉRIO PÚBLICO.

Nestes últimos dias a polícia federal entrou no circuito para uma investigação mais complexa e começou a chamar para oitivas e depoimentos pessoas envolvidas no fato atípico e ilícito.

Nos próximos dias veremos pessoas perdendo literalmente a cabeça com intimações que deverão ser cumpridas pela polícia federal.

Com a admistração pública não se brinca, não pode deixar de levar a sério o compromisso com a probidade.

E quem dever que deverá pagar a justiça, aí eu quero ver quem são os CORRUPTOs.
 
FALSIDADE IDEOLÓGICA é crime, está tiíficado no Código Penal Pátrio,vejamos:

Art. 299 - Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante:

Pena - reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos, e multa, se o documento é público, e reclusão de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa, se o documento é particular.

Parágrafo único - Se o agente é funcionário público, e comete o crime prevalecendo-se do cargo, ou se a falsificação ou alteração é de assentamento de registro civil, aumenta-se a pena de sexta parte.

PROBIDADE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA É O QUE SE ESPERA DE GESTORES PÚBLICOS.


 ESTAMOS DE OLHO...



CORRUPTO???????????????? SERÁ MESMO??????

Bem senhores eleitores, há várias décadas na política de campestre o político Doutor Laércio José de Oliveira vem ganhando a simpatia e o sufrágio da população desta cidade de Campestre. Não é a toa que pela quarta vez foi eleito democraticamente prefeito da cidade. Enfim, na úlitma eleição municipal, os seus adversários lutavam contra o passado de sua administração. Denegriam sua administração, sua pessoa e até agrediam sua família.

Os mais radicais acreditavam que isso é coisa de política, será?

Destruir a administração, a personalidade política sim, na visão altruísta é perfeitamente cabível essa oposição baixista. 

Contudo, quando as críticas extrapolam os valores, começam a por em xeque a pessoa física essa atitude se torna víl, asquerosa, maquiavélica e deprimente.

Embora, a história política de LAÉRCIO prove o contrário, ele vem sofrendo com ações na justiça pública, e constantemente vem recebendo o nome de LARÁPIO por seus adversários, ou seja, LADRÃO mesmo.

Pego-me pensando como um cidadão que passou no poder mais de 12(doze) anos, e tudo que ganhou e galgou lhe foi redistribuido com o povo.

Pego-me pensando como este cidadão responde a processo por improbidade, e mesmo assim nunca desistiu da vida pública.

Pego-me pensando onde estaria essa riqueza proferida por tantos que dizem que LAÉRCIO havia afanado, desviado ou surrupiado recursos públicos.

Pego-me pensando, que após os relatos de suas gestões, as pessoas que lhe querem bem e até adversários diretos, ou seja, críticos conscientes e responsáveis bravejam por uma única voz:

"LAÉRCIO NUNCA PEGOU NADA PRA ELE, SEMPRE DEU TUDO AO POVO"

Pego-me pensando, seria um ROBIN HOOD do novo milênio, ou misticismo criado, ou veracidade dada pela imprensa em desfavor de sua conduta????? 

E em diversos relatos históricos presenciei após uma minunciosa pesquisa, que os atuais políticos que o criticam e vibram com as terríveis intimações da justiça pública, são os mesmos que passaram anos e anos lambusando-se com a improbidade do erário.

Ora caríssimos eleitores, porque recair responsabilidade criminal apenas em cima do gestor? Nossa legislação ainda tem muito que se aperfeiçoar. A responsabilidade tem que ser distribuiída com todos que enfrentam a administração pública.

É lamentável a história política de nossa cidade, é lamentável a situação de Laércio.

Não estou aqui fazendo julgamento de valor, inocentando os gestores anteriores, estão apenas tentando fazer uma distribuição consciente de responsabilidades que a lei de improbidade não o faz.

Perdoe-me se algum ou outro eleitor se fere com estes relatos, mas são parte da história política contemporânea campestrense e por assim não pode ser esquecida, sob pena de ferir por morte a própria democracia.

Digo isto com muita propriedade: 

"Hoje LAÉRCIO juridicamente é vitima da própria paternidade política de mau feitores, que apenas se empilharam no seu quintal para sugar a vantagem ilícita do pode público.

Em sendo, encerro o editorial com a seguinte frase:

"Nem sempre a justiça é justa, às vezes a cegueira da deusa condena os inocentes e absolve os condenáveis". 

Editorial a voz da consciência. Por Fernandes Braga

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Decisão do STF - "Suplente da coligação deve assumir e não o suplente do partido..."

O Supremo Tribunal Federal decidiu que a suplência de deputados federais, estaduais e vereadores pertence à coligação e não ao partido.







As lideranças políticas do Congresso Nacional gostaram da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a suplência de deputados federais, estaduais e vereadores pertencer à coligação e não ao partido. O presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), disse que a decisão do STF foi positiva. "Seria muito ruim mudar as regras do jogo na partida já jogada".

Segundo ele, a posição do STF garante segurança jurídica ao processo eleitoral e preserva uma regra que vem sendo adotada pela Câmara há muitos anos, de empossar os suplentes das coligações que elegeu o titular do mandato que se afastou do cargo. "A partir de agora, o tema será tratado na reforma política. Eu, pessoalmente, defendo o fim das coligações nas eleições proporcionais".

O presidente do PPS, deputado Roberto Freire (SP), disse que, ao determinar a posse do suplente do partido em vez do suplente da coligação - como alguns ministros da Corte chegaram a votar e depois mudaram -, o STF tinha provocado uma situação meio incongruente.

Segundo ele, o regime brasileiro adotou a coligação proporcional e historicamente sempre foi o suplente da coligação que tomou posse no caso de afastamento do titular. "A decisão foi corretíssima. Para o futuro, cabe ao Congresso Nacional decidir se mantém ou não as coligações". O presidente do PP, senador Francisco Dornelles (RJ), disse apenas que "decisão do Supremo não se discute".

Para o deputado Augusto Carvalho (PPS-DF), que ocupa uma cadeira na Câmara como suplente da sua coligação, disse que a decisão foi correta e equilibrada, "porém tardia". "Mesmo assim, essa decisão recompõe a estabilidade política. Prevaleceu o bom senso dos ministros".

 

MP instaura inquérito por improbidade administrativa no governo de Wilma de Faria

Apuração realizada pelo Inquérito revelou que filha da ex-governadora nunca exerceu a função para a qual foi cedida e não cumpria expediente.

 

 A Promotoria de Defesa do Patrimonio Público de Natal instaurou uma Ação Civil Pública de Improbidade administrativa ocorrida na Secretaria Estadual de Planejamento- SEPLAN, durante o governo Wilma de Faria, envolvendo também a filha da então governadora, a bancária Ana Cristina de Faria e mais 6 nomes.

O Inquérito Civil nº 046/11, da Promotoria de Defesa de Patrimonio Público averiguou que Ana Cristina foi cedida pelo Banco do Brasil para supostamente trabalhar à frente do Programa de Desenvolvimento Regional Sustentável da SEPLAN e Todos os ônus dessa cessão seriam do Governo do Estado do RN, que teria repassado ao Banco do Brasil, só em relação ao mês de novembro de 2010, a quantia de R$ 18.269,03.

A apuração realizada pelo Inquérito civil revelou que Ana Cristina nunca exerceu a função para a qual foi cedida e não cumpria expediente na repartição em que estava lotada, além disso, a cessão teria sido realizada de forma irregular.

A Ação Civil Pública pede ao Juiz que condene os envolvidos ao ressarcimento de R$ 433.275,91 aos cofres públicos, com atuação monetária e juros legais e a condenação por improbidade administrativa.

 

BARRAGEM ARMANDO RIBEIRO, 20 CENTÍMETROS PARA UM DESASTRE A CIDADE DO AÇÚ.

Defesa Civil se prepara para possível ocorrência de inundação. Bombeiros realizaram mapeamento das áreas de risco e prováveis abrigos temporários.

 

 O Vale do Açu está em estado de alerta, pois, de acordo com informações da Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh/RN), faltam apenas 20 centímetros para a Barragem Engenheiro Armando Ribeiro Gonçalves começar a sangrar.

O reservatório tem 62 km de extensão e um paredão de 3,5 km, onde os três sangradouros medem juntos outros 600 metros. Quando ele transborda significa que o reservatório passou dos 2,4 bilhões de metros cúbicos de água, podendo até chegar a 3,2 bilhões.

Por esse motivo, a Defesa Civil do Estado está a postos para uma possível inundação. O sistema de alerta já foi preparado pelas autoridades de Assu, além do mapeamento das áreas de risco e o cadastramento dos abrigos temporários.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil do Estado, o coronel Josenildo Acioli do Corpo de Bombeiros do Estado, o primeiro passo foi dado e que fica a cargo da Defesa Civil do município é supervisionar e emitir o alerta.

“Eles estão a postos, para uma situação de inundação, porém, até o presente momento não foi emitido nenhum sinal de alerta. Caso seja necessário, nós daremos todo o suporte necessário para ajudar a população local”, explica o coronel.

 

 

quinta-feira, 21 de abril de 2011

PEIXE, PÃO E CIRCO

PEIXE, PÃO E CIRCO...  AGRAVANTES DA MISERABILIDADE DO NOSSO POVO. 

Mais um ano de comemoração da semana santa, momento religioso do cristianismo ocidental. No nosso país temos a cultura da distribuição de peixe perante os munícipes de todas as regiões.

Enquanto isso em Campestre...


Não diferente é comum os poderes constitucionais que se gabelam pelos momentos religiosos como a semana santa, usarem a cultura religiosa, como a distribuição do peixe para atacarem as camadas sociais mais desfavorecidas de poder aquisitivo e assim fazerem as atrevidas politicagens que deturpam a consciência da essência da política.
Na visão pluralista usar o PEIXE para politicar é ser sordido com a própria degradação do ser humano. É delinquir o cidadão a própria sorte. É a humilhação dos desfavorecidos. É a migalha em troca do compromisso so sufrágio. 
"OLHA NÃO ESQUECI DE VOCÊS, AQUI ESTÁ O PEIXE E O PÃO, LÁ NA FRENTE VOCÊS ME DARÃO A CHANCE DE LHES APRESENTAR O CIRCO".

Quanto vale o show?????????? Quanto vale a dignidade do povo?????

Ora, Ora, Ora... Para aqueles que estão no poder o povo só importa nas urnas, mantendo o aliciamento de seus desejos políticos próprios.
Ao invés de distribuirmos PEIXE e PÃO durante um dia a cada ano. O porque não ensinamos o povo a pescar, para que possam conseguir todos os dias o seu PEIXE e seu PÃO.

Conrromper a dignidade da pessoa humana, é o crime contra os próprios direitos humanos. É ver por terra uma gleba de anseios que são mitigados pelos interesses e satisfações pessoais daqueles que não mantém o compromisso da representatividade que lhes foram confiados.

Ao invés de confabular os anseisos sociais necessitamos de políticas públicas que viabilizem os direitos socias consitucionais nos garantido pela nossa carta magna.

O PEIXE e o PÃO deve sim ser distribuído, mas como a lembrança de nossa data religiosa, como lembrança do sacrifício de Cristo por nós fiéis. E não para a satisfação da libido política destes que dizem representar o povo.

Doutra forma desejo um bom feriado de semana santa para todos os amigos e todo o povo de Campestre.
"Lembrem-se nossa consciência não tem preço, não há peixe, nem pão que deva comprar nossa dignidade, e não nos deixemos participar desse circo  político asqueroso".

Editorial: Voz da consciência, por Fernandes Braga


terça-feira, 19 de abril de 2011

O JUIZ WALTER NUNES E O JUIZ FEDERAL MARIO JAMBO CRITICAM NA AUDIÊNCIA PÚBLICA O SISTEMA CARCERÁRIO.

O juiz Walter Nunes, do Conselho Nacional, e  o Mito da Magistratura Potiguar o Dr. Mário Jambo, da JFRN, participam de audiência pública na Assembleia Legislativa.

O juiz do Conselho Nacional de Justiça, Walter Nunes, fez duras críticas ao sistema carcerário do Rio Grande do Norte e do país, na audiência pública Assembleia Legislativa, na manhã desta terça-feira (19). Walter Nunes destacou a falta de investimentos no sistema carcerário, apesar das promessas dos governos com a segurança pública.

“Não há segurança pública, sem sistema carcerário. Não adiantar uma política de repressão. A falta de atitude do poder executivo é compartilhada pelo judiciário. O Brasil tem sido irresponsável, temos um déficit de 200 mil vagas”, explica.

“O juiz também falou que o Brasil tem sido irresponsável, pois hoje existe um déficit de 200 mil vagas no Sistema Carcerário. Segundo relatório do Conselho Nacional de Justiça, no Rio Grande do Norte existe um déficit de duas mil vagas”, explca.

O magistrado alertou o problema poderia ser ainda maior. “Existe uma demanda enorme de vagas, e isso por que mais de 90% dos autores do crime não são identificados aqui no RN”, informa.

Walter nunes sugeriu a Assembleia um projeto de lei que obriga a destinação de vagas para apenados e ex-apenados nos contratos de prestação de serviços celebrados pelo Estado. “Temos que criar uma rede de absorção dos egressos. E vale lembrar que a prisão não é remédio para ninguém”, diz o Juiz. 

O ponto alto da audiência pública foi quando o Juiz Federal Mário Jambo emocionou os presentes: 

Juiz Federal Mário Jambo

“Sinto-me profundamente angustiado por julgar todo dia a miséria brasileira”. A abertura emocionada do discurso do Juiz da segunda vara Federal Mário Jambo, na Assembleia Legislativa, comoveu a todos.

“Estamos aqui tratando das conseqüências do descaso brasileiro com o sistema carcerário. Não é um problema histórico, é uma opção histórica”. A critica a todos os agentes da segurança pública, em todas as esferas, foi um alerta para a situação crítica por que passa os presídios no Brasil. “Não dá mais para esperar. Não dá mais para dizer que acontece no país todo. Não podemos perder tempo para achar os culpados”, explica o juiz.

Durante o discurso, Mário Jambo, relatou a importância de se pensar mais no lado humano. Ele lembrou que durante um debate sobre penas alternativas, uma jornalista perguntou como o cidadão Mário Jambo se sentiria se a pena alternativa fosse dada a um traficante que levava drogas para a filha dele.

O juiz respondeu com uma resposta: “como você queria que fosse condenado este traficante, se ele fosse seu irmão? Por que pensamos que criminoso só existe na família dos outros”.

Mario Jambo sugeriu uma mobilização de todos para solucionar de uma vez os problemas dos presídios. “Não é ético resolver os problemas da Copa, sem resolver os problemas do sistema penitenciário. Por que não estabelecemos um cronograma de investimento como na Copa? Não é possível que a Fifa tenha mais poder que nossa consciência humana. Estamos abandonando um processo civilizatório”, desabafa o magistrado.

“O cenário continua desolador”, afirma corregedor sobre Ceduc


Desembargador Claúdio Santos critica a “inércia” do Poder Executivo em melhorar as condições “sub-humanas” que vivem os menores infratores.

 

O corregedor geral de Justiça do RN, desembargador Cláudio Santos, realizou mais uma inspeção no Ceduc Pitimbu e chegou a conclusão que o cenário na unidade “continua desolador”. O lamento do corregedor diz respeito, segundo ele, a “inércia” do Poder Executivo em melhorar as condições “sub-humanas” que vivem os menores infratores.

A visita foi realizada nesta segunda-feira com a presença da juíza e a promotora da Infância e Juventude de Parnamirim, Ilná Rosado e Isabelita Garcia, além de magistrados e promotores que atuam na área no âmbito da região metropolitana da capital. Representando o governo do Estado, o diretor técnico da Fundação Estadual da Criança e do Adolescente (Fundac), Rafael Jácome.

O desembargador Cláudio Santos observou que nenhuma das medidas de curto, médio e longo prazo, determinadas pela justiça, sobretudo no que diz respeito a infra-estrutura do local, foram atendidas pela administração estadual.

“Esperamos que essas providências sejam tomadas para que outros sérios problemas, como o que ocorreu semana passada (um dos internos matou o companheiro de cela com requintes de crueldade), não voltem à tona. Caso contrário deve haver a responsabilização criminal dos atuais gestores”, enfatizou o desembargador.

Cláudio Santos afirmou ainda que o Poder Judiciário continuará a parceria com o Ministério Público, no intuito de efetivar a “dignidade que está sendo negada às crianças e adolescentes do Ceduc Parnamirim”.

“É uma vergonha para o RN ter essa situação desumana e nós só temos a lamentar. A minha posição pessoal hoje é de tristeza e desalento. Nós esperávamos que as medidas emergenciais já pudessem ter sido tomadas, mas infelizmente não é o que estamos vendo”.

A situação do Ceduc de Parnamirim é tão precária que a juíza da Infância e Juventude do município, Ilná Rosado, tomou uma medida administrativa no sentido de limitar o número de vagas para internos no local. Em novembro de 2010 eram mais de 100 internos para um número máximo de 50 vagas. Hoje, vivem no lugar 57 internos.

“Infelizmente nós não temos como permitir mais internos, pela segurança dos próprios adolescentes e da própria sociedade. A superlotação em si já traz instabilidade, violência”, disse a magistrada.

 

segunda-feira, 18 de abril de 2011

A Falta de Compromisso do Poder Público com Campestre/RN.

Por Fernandes Braga


Se ao menos tivéssemos a clareza de que apenas o que falta em Campestre é a sorrateira promessa da ponte da rua da paraiba, assim como meus caríssimos amigos campestrenses poderíamos nos dar por satisfeito. 

O problema da ingerência do nosso município é bem maior que a simples "promessa da ponte". Digo entre aspas propositalmente porque há anos o povo daquele bairro vem amargando a promessa de uma passagem digna para suas residências.

O problema de Campestre é muito maior, são anos de celeuma num profundo atraso na saúde, na educação, na assistência social. E quem paga com o isso é o povo que há cada 04(quatro) anos almeja e deposita uma nova confiança em um novo gestor.

O sentimento de impotência desse povo é o meu sentimento. Da impotência diante dos despaltérios derramados numa falácia de ignorância pela classe política deste município, que prefere ao invés de legislar em prol da sociedade e gerir as políticas condizentes, se sentem mais a vontade jogando poeira um no telhado do outro.


A política de campestre está mais pra programa do ratinho, final de semana é uma vergonhosa profanação de acusações, agressões e ameaças. Além de tudo, a população é obrigada a ter que participar daquela poluição sonora. É lamentável, é sórdido, mais é Campestre.

Ora, como nos acostumarmos com o inacostumável... Nossos representantes que se encontram no poder, ao invés de traçarem um norte para a produção de políticas públicas que vigorizem e priorizem o bem estar social, o alavancamento da educação municipal, a melhoria necessária e imprescindível da saúde, preferem se derramar sob calúnias, uns sobre os outros.

Como o insofismável Boris Casoi, atrevo-me a reproduzir seu mais famoso jargão: "Isto é uma vergonhaaaa"

Mas o que esperar de nossos representantes? Estamos mais uma vez as portas de uma nova eleição, e pelos que mais esperavam nada foi feito. A cidade padece na infraestrutura, amontoados de pedras e areia redesenham a paisagem sombria de um futuro quase pretérito.

O eufemismo é também proposital... As eras se passam pelo poder e o povo que elegeu é o mais que sofre com as intempéries de um poder público arraigado pela incompetência gerencial.

Sem lenço, sem documento, sem identidade, sem democracia... São José do Campestre um lugarzinho do agreste onde política é sinônimo de mordomia.
Editorial Voz do Povo em Defesa de Seus Direitos.

Para Rosalba, PSD tem o objetivo de destruir o Democratas...

O deputado federal Fábio Faria, e filho do vice-governador Robinson Faria já tenta minimizar os efeitos da declaração da governadora Rosalba Ciarlini (DEM), no último fim de semana em Caicó. Depois de ter dito que o PSD estava sendo criado com o intuito de “destruir” o seu partido, indiretamente, ela atingiu o seu vice, Robinson Faria.

No entanto, Fábio usou o Twitter para dizer que não adianta “criar” intrigas entre os dois, pois ele e o pai só falaram com Kassab após aval de Carlos Augusto, marido de Rosalba.

Durante a reabertura da Catedral de Sant’ana na cidade seridoense, a democrata demonstrou toda a sua insatisfação com o surgimento da nova legenda “está na cara que eu não gosto disso”.

Logo quando veio à tona, antes mesmo da eleição estadual, a possibilidade da abertura do partido, Rosalba era cotada para integrá-lo. Mas agora, a chefe do Executivo Estadual nega que queira trocar de legenda.

As declarações de Rosalba devem provocar uma conversa sobre o assunto entre ela, e o vice-governador Robinson Faria que já declarou à imprensa que não receberá nenhum tipo de objeção por parte dela, e que à comunicará previamente sobre seus planos à frente do PSD.