Bem vindo ao BLOG CAMPESTRE CIDADÃO, Na Defesa de Seus Direitos

Esse blog é uma forma direta de interagir com a sociedade, esclarecendo suas dúvidas e orientando a respeito de seus direitos. É um prazer poder dar minha contribuição como cidadão consciente.

Fernandes Braga

domingo, 23 de outubro de 2011

Terremoto na Turquia pode ter provocado até mil mortes

O forte abalo que atingiu hoje (23) a província oriental de Van, no Leste da Turquia, pode ter causado a morte de até mil pessoas, segundo o responsável pelo instituto sismológico de Kandili, Mustafa Gedik. Ele participou de uma entrevista coletiva em Istambul, onde garantiu que este foi um "forte sismo" que "pode causar entre 500 e 1.000 mortos".

O terremoto pode ter chegado aos 7,3 pontos na Escala Richter, de acordo com o instituto americano de geofísica USGS. As notícias que têm surgido do sismo que afetou o território turco, próximo da fronteira com o Irã, dão conta de um número não especificado de mortos, de acordo com o governo turco.Na província de Van, cidade com 380 mil habitantes, as autoridades estão procurando pessoas que ficaram soterradas nos escombros dos edifícios que ruíram, de acordo com os órgãos de comunicação locais. 


Apesar dos danos, as autoridades locais garantem que o aeroporto civil continua operacional.O epicentro do sismo foi registrado a 19 quilômetros a nordeste da província de Van, a uma profundidade de 7,2 quilômetros, de acordo com o instituto norte-americano. Um tremor dessa magnitude pode provocar danos expressivos, já que muitas casas foram construídas sem seguir normas estabelecidas, advertiram sismólogos nas redes de televisão.


A Turquia, que é atravessada por diversas falhas geológicas, principalmente no Leste e Noroeste, sofre constantemente com tremores de terra. Dois fortes abalos em regiões muito populosas e industrializadas no Noroeste da Turquia causaram 20 mil mortos, em agosto e novembro de 1999. Em 1970, um terremoto deixou mil mortos na província de Kütahya, no Noroeste.* Fonte: Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário