Bem vindo ao BLOG CAMPESTRE CIDADÃO, Na Defesa de Seus Direitos

Esse blog é uma forma direta de interagir com a sociedade, esclarecendo suas dúvidas e orientando a respeito de seus direitos. É um prazer poder dar minha contribuição como cidadão consciente.

Fernandes Braga

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Ex-delegado da DEPROV é condenado a perda do cargo por peculato

Foto: Arquivo Nominuto
Delegado César Rodrigues: condenado a perca do cargo pela Justiça
O ex-delegado César Rodrigues Castro, da poderosa Delegacia de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (DEPROV) de Natal, foi condenado pela Justiça a perca do cargo e a proibição de contratação com poder público por 10 anos.

Os promotores de Justiça Rinaldo Reis Lima, Giovanni Rosado Diógenes Paiva, Jann Polacek Melo Cardoso, Fernando Batista de Vasconcelos descobriram umas coisas erradas de César Rodrigues a frente da DEPROV na década de 90 e começaram a investigá-lo.

Entre outras coisas, o MPE estadual conseguiu comprovar tecnicamente, no processo, que o delegado César Rodrigues recebeu R$ 8 mil da empresa Pancary Sistemas de Seguros e de Gerenciamento de Riscos e Transportes Multimodais de Cargas.

Motivo: O delegado César Rodrigues recebeu os R$ 8 mil a título de 'prêmio' pela apreensão de mercadorias roubadas da seguradora avaliada em 2 milhões em 1996. O “prêmio” foi pago no dia 16 de dezembro de 1999. A empresa disse que é costume isto acontecer.

Os promotores informaram que César Rodrigues recebeu vantagem indevida em razão do exercício de função pública de delegado, com caracterização de enriquecimento ilícito. 

O delegado César Rodrigues disse que não teve enriquecimento ilícito e que recebeu os R$ 8 mil a título de "prêmio" pelo desempenho de seu comportamento funcional, bem como que destinou tal quantia para a Instituição Espírita Nosso Lar, em João Pessoa/PB.

Depois de analisar precisamente o processo, a juiz Airton Pinheiro, determinou, no dia 14 de novembro de 2011, a imediata demissão de César Rodrigues e a proibição do mesmo contratar com o poder público por um período de 10 anos. Cabe recurso.

Fonte: Nominuto

8 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir