Bem vindo ao BLOG CAMPESTRE CIDADÃO, Na Defesa de Seus Direitos

Esse blog é uma forma direta de interagir com a sociedade, esclarecendo suas dúvidas e orientando a respeito de seus direitos. É um prazer poder dar minha contribuição como cidadão consciente.

Fernandes Braga

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Marcelinho Paraíba é preso acusado de estupro em Campina Grande.


O jogador de futebol Marcelinho Paraíba e mais dois amigos foram detidos na madrugada desta quarta-feira, dia 30, supeitos de estupro e desacatado a autoridade. De acordo com informações da Polícia Civil de Campina Grande, o jogador promovia uma festa em uma granja no bairro Gloria II em que participavam o delegado Rodrigo do Rego Pinheiro, titular da delegacia do distrito de São José da Mata, e sua irmã, de 31 anos.

Ainda segundo a Polícia, no momento em que o delegado saiu do local para comprar cerveja, Marcelinho Paraíba teria tentado beijar a mulher e como ela não quis, ele a teria agredido. Com o retorno do irmão, a vítima contou o que houve e Rodrigo do Rego então acionou a Polícia Militar. Três viaturas responderam ao chamado, mas os policiais foram impedidos de entrar no local.

Os policiais chamaram reforço e com o apoio de mais cinco viaturas conseguiram deter o jogador e dois amigos. Todos foram levados para a Central de Polícia de Campina Grande, onde estão prestando depoimento ao delegado Fernando Antônio Zóccula.

Renato Diniz, advogado de Marcelinho Paraíba confirma que o jogador teria tentado beijar a irmã do delegado, no entanto nega que ele a teria agredido e que as acusações de Rodrigo do Rego são infundadas e frutos do estado de embriaguez em que ele se encontra. Na delegacia, o delegado tentou agredir o repórter da TV Borborema Rodrigo Diniz, que estava buscando mais informações sobre o caso.

Marcelinho Paraíba pode responder pelo crime de estupro, previsto no art 213 do Código Penal Brasileiro, que define o delito como qualquer ação que constranja mulher à conjunção carnal, mediante violência ou grave ameaça. Os amigos do jogador, que não tiveram seus nomes revelados, vão responder por desacato a autoridade.

Um comentário: