Bem vindo ao BLOG CAMPESTRE CIDADÃO, Na Defesa de Seus Direitos

Esse blog é uma forma direta de interagir com a sociedade, esclarecendo suas dúvidas e orientando a respeito de seus direitos. É um prazer poder dar minha contribuição como cidadão consciente.

Fernandes Braga

domingo, 22 de abril de 2012

Cadê a prova que estava aqui?

Foto/Créditos:  MAURI MELO -O candidato realizou os exames na Fa7, junto 
dois fiscais responsáveis pelo suporte técnico e pela supervisão
Candidato em concurso público do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Lucas David Pereira, que tem limitação na visão, recebeu zero em prova de redação porque o arquivo não teria sido salvo corretamente no computador
MAURI MELO

O candidato Lucas David Pereira recebeu nota zero na prova de redação no concurso do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), sob a alegação da Fundação Carlos Chagas (FCC), organizadora do concurso, de que a prova deixou de ser entregue. Lucas tem perda parcial de visão e concorria a vaga de técnico jurídico destinada a pessoas com deficiência.

O concurso ocorreu há quase três meses e se constituía de duas provas, uma objetiva e outra discursiva (redação). O candidato realizou os exames na Faculdade Sete de Setembro (Fa7), junto a dois fiscais responsáveis pelo suporte técnico e pela supervisão. Ambos os responsáveis pela aplicação do teste, que não quiseram se identificar, confirmam que o arquivo foi salvo no computador.

Segundo Lucas, os problemas começaram após a divulgação do resultado, quando descobriu que a redação foi zerada. Ao pedir cópia da prova, recebeu o laudo da empresa CBL Tecnologia, que informa a inexistência do arquivo no disco rígido do computador, sem especificar as causas do fato. “Entrei com um recurso administrativo em 19 de março e recebi a resposta nesta segunda-feira (dia 16 de abril), um mês depois, dizendo que havia sido negado”, relata. 

O POVO teve acesso aos dois comunicados enviados pela FCC em resposta ao pedido de revisão. No primeiro, a justificativa é de que “a prova do candidato não foi entregue para correção”. No entanto, a FCC informa por meio de um segundo documento que “o texto foi relido e reavaliado, chegando-se à conclusão de que nada há a ser alterado” e de que a nota será mantida. Ele afirma que já entrou em contato com o advogado para receber indenização da FCC.

Por meio da assessoria, a comissão organizadora do concurso do TRE afirma que a instituição é a responsável por organizar o exame, inclusive por corrigir as provas. Já a assessoria da Fundação Carlos Chagas mantém que a resposta do recurso administrativo do candidato é a que “está disponível no site da FCC”.

O quê?

ENTENDA A NOTÍCIA

A prova do concurso do TRE foi realizada em janeiro e teve 37.518 inscritos. Na categoria de técnico judiciário na área administrativa, concorreram 22.930 pessoas. Dessas, 312 disputavam a única vaga destinada a deficientes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário