Bem vindo ao BLOG CAMPESTRE CIDADÃO, Na Defesa de Seus Direitos

Esse blog é uma forma direta de interagir com a sociedade, esclarecendo suas dúvidas e orientando a respeito de seus direitos. É um prazer poder dar minha contribuição como cidadão consciente.

Fernandes Braga

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Taques detona juiz que quase soltou Cachoeira


Taques detona juiz que quase soltou Cachoeira

Foto: Edição/247

“TEMOS QUE DAR NOME AOS BOIS, AOS TOUROS, NÃO ESTAMOS DIANTE DE CONTRAVENTORES, MAS DO CRIME ORGANIZADO QUE AMEAÇA SERVIDORES PÚBLICOS”; SENADOR PEDRO TAQUES (PDT/MT) FEZ A PROVOCAÇÃO AO JUIZ TOURINHO NETO, QUE QUERIA LIBERTAR CACHOEIRA, AO COMENTAR A PRISÃO DO CUNHADO DO BICHEIRO

247 – O senador Pedro Taques (PDT/MT) subiu à tribuna para fazer uma provocação direta ao desembargador Tourinho Neto, do Tribunal Regional Federal, que pediu a anulação das gravações da Operação Monte Carlo e quase colocou em liberdade o bicheiro Carlos Cachoeira.
“Temos que dar nome aos bois, nome aos touros, não estamos diante de contraventores, mas do crime organizado que ameaça servidores públicos”, disse Taques. O senador fez a declaração ao comentar a prisão do cunhado de Carlos Cachoeira, Adriano Aprígio, que ameaçou a promotora Léa Batista. “Quero ouvir agora o que o desembargador Tourinho tem a dizer”, provocou Pedro Taques.
Ao sugerir a libertação de Cachoeira, o juiz afirmou que se tratava apenas de uma pequena contravenção, o jogo, amplamente tolerada pela sociedade brasileira. “É muito mais grave, Dr. Tourinho, é o crime organizado ameaçando o Estado”, disse Taques.
Caso Juquinha
No seu pronunciamento, o senador Taques também comentou a operação Trem Pagador, que prendeu José Francisco das Neves, o Juquinha, ex-presidente da Valec. “Espero que ele fique preso por muito tempo porque a sociedade brasileira não tolera mais o corrupto na rua”.
À frente das obras da ferrovia Norte-Sul, Juquinha amealhou um patrimônio de R$ 60 milhões, superfaturando as obras. “O que me espanta é que tudo isso já vinha sendo apontado pelos órgãos de controle, como o Tribunal de Contas da União, e nada foi feito”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário