Bem vindo ao BLOG CAMPESTRE CIDADÃO, Na Defesa de Seus Direitos

Esse blog é uma forma direta de interagir com a sociedade, esclarecendo suas dúvidas e orientando a respeito de seus direitos. É um prazer poder dar minha contribuição como cidadão consciente.

Fernandes Braga

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Fapern aguarda prestação de contas do IINN

saac Lira e Roberto Lucena - repórteres

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte (Fapern) repassou, em maio de 2011, R$ 412.500,00 ao Instituto Internacional de Neurociências de Natal (IINN). O valor refere-se à primeira parcela de um convênio no valor total de R$ 1,25 milhão. No início deste mês, o IINN solicitou ao Estado o repasse da segunda parcela do montante. O depósito, no entanto, ainda não foi feito. A Fapern aguarda a entrega de um relatório financeiro para poder liberar o dinheiro.
Alex RégisNicolelis garantiu que hoje divulga a lista das pesquisas do IINNNicolelis garantiu que hoje divulga a lista das pesquisas do IINN

O convênio foi firmado, em 2010, entre a Fapern e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para financiar o IINN.  O acordo garantia o aporte de R$ 1,25 milhão por parte da Fapern e mais R$ 2,5 milhões por parte do CNPq. O dinheiro é utilizado para comprar equipamentos, custear bolsas de pesquisas, entre outras ações do Instituto. O Estado dividiu sua parte em três parcelas: duas de R$ 412.500,00 e uma de R$ 425.00,00.

Segundo a presidente da Fapern, Maria Bernadete Cordeiro de Sousa, a liberação da segunda parcela da contrapartida do Estado está condicionada à apresentação do relatório financeiro referente ao primeiro montante entregue ao IINN. "Eles solicitaram a segunda parcela, mas não apresentaram a prestação de contas. Para liberar a verba é necessário a apresentação de um relatório técnico e outro financeiro. Até agora, só recebemos o relatório técnico", colocou.

O IINN voltou a ser notícia após a publicação de uma matéria no jornal "Estado de São Paulo", na edição do último domingo. Intitulada "Instituto de Nicolelis enfrenta 'apagão científico'", a reportagem afirma que, desde de julho de 2011, o Instituto "não publicou nenhum trabalho científico novo". Questionada sobre a produção científica do órgão comandado pelo neurocientista Miguel Nicolelis, a presidente da Fapern afirmou que o relatório técnico apresentado deve esclarecer a questão, porém, o documento ainda não foi analisado. "Estamos esperando o relatório financeiro para analisar tudo de uma única vez. Não posso afirmar o que foi feito porque não li o relatório".

O pedido de liberação da segunda parcela do convênio foi feito no início do mês. O IINN tem o prazo de 30 dias para apresentar o documento solicitado pela Fapern.  Os relatórios serão submetidos a análises de consultores convocados pela Fundação. "Serão ouvidos membros da comunidade científica do país. Eles terão um prazo de até 60 dias para apresentar um parecer, que poderá ser favorável ou não para a liberação do dinheiro", explicou Bernadete. Durante a tarde de ontem, a reportagem tentou ouvir Miguel Nicolelis, porém, não obteve resposta.

Nicolelis: " não há apagão científico"

O neurocientista Miguel Nicolelis rebateu as informações publicadas pelo jornal Estado de São Paulo no último fim de semana. O Estadão disse, em reportagem, que o Instituto de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra sofre um "apagão científico" desde 2011, quando um grupo de professores da UFRN rompeu com Nicolelis. Miguel Nicolelis disse em sua conta na rede social Twitter que o jornal omitiu alguns fatos acerca do trabalho realizado no RN. Para o neurocientista, "não há apagão científico e o trabalho segue normalmente no Instituto".

A matéria do Estadão questiona a produtividade e a importância do Instituto de Neurociências para a pesquisa realizada no Brasil. O jornal utiliza como parâmetro a quantidade de pesquisadores e trabalhos publicados pelo grupo de Nicolelis em Natal. Outro ponto citado na matéria é a suposta falta de qualificação dos pesquisadores remanescentes no Instituto de Neurociências, tendo como base índices internacionais de medição de produtividade e importância dos trabalhos acadêmicos publicados. Em resposta, Miguel Nicolelis prometeu publicar hoje uma lista de artigos e apresentações em congressos produzidos pelos pesquisadores do Instituto no período 2011/2012.

Na rede social, Nicolelis disse que foram publicados seis artigos científicos e 16 resumos em congressos. Todos esses trabalhos, realizados unicamente em Natal, segundo ele. Já a produção pessoal de Nicolelis, também citada no Twitter, foi de 18 artigos científicos. Para Nicolelis, esses dados refutam "completamente a tese de falta de produtividade e ñ contribuição a ciência Brasileira!" (sic).

Na oportunidade, Miguel Nicolelis tratou a saída dos pesquisadores do Instituto como golpe branco de "um grupo de pesquisadores que só vieram p Natal pq o projeto do do IINNELS convenceu o MEC da necessidade de criar um dept de neurosciencias na UFRN" (sic). Em 2011, nove pesquisadores finalizaram a parceria com Nicolelis. A ideia do projeto Walk Again, onde um adolescente com dificuldades motoras irá dar o pontapé inicial da Copa do Mundo de 2014 através de uma veste robótica, foi ressaltada por Miguel Nicolelis, ontem, como  como "uma demonstração histórica para q td mundo veja o Brasil de outra forma" (sic). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário